Após inúmeras reuniões e negociações com o Governo do Estado, o Conselho Regional de Educação Física da 5ª Região (CREF5-CE) conquistou a liberação para retomada da prática esportiva individual e os serviços de assessorias esportivas ao ar livre, em Fortaleza (CE). Por meio de decreto estadual, publicado no último sábado (20), os exercícios físicos individuais poderão voltar a acontecer a partir da próxima segunda- feira (22), quando se inicia a segunda fase do plano de retomada responsável, em Fortaleza, devido à pandemia da covid-19.

Pelo decreto, a prática esportiva individual fica permitida, desde que: orientada por um profissional devidamente registrado no CREF ou empresas legalmente constituídas; seja de forma individual e praticada em ambiente privado, não comercial, aberto ao ar livre (sem cobertura), com controle de acesso, a exemplo de quadras poliesportivas sem cobertura, estacionamentos privados ou terrenos adaptados; as atividades não sejam desenvolvidas nas áreas como praias, parques, praças e calçadões; as corridas individuais são permitidas, desde que sejam nas vias públicas, próximas à residência do praticante, limitada ao raio de 2km, sendo vetados pelotões e aglomerações; precisa que sejam observadas as medidas sanitárias, como uso de máscara pelo profissional e pelo praticante, uso de luvas látex para manuseio do material pelo profissional, uso do álcool em gel e sabão, além de agendamento por horário (limitado por uma hora) e distância de pelo menos 5 metros de outro praticante, não haver contato físico ou compartilhamento de equipamentos para evitar a transmissão do vírus.

Apesar da conquista, como antecipa o presidente do CREF5-CE, Jorge Henrique Monteiro, o CREF5 continuará as negociações com o Grupo de Trabalho de Retomada do Governo do Estado. Isso porque, como ressaltou, as demais cidades do Estado não foram contempladas, em qualquer modalidade da prática esportiva, e nem a prática em espaços os privados comerciais, como academias, clubes e similares, prevista apenas para a quarta fase do plano. “Continuaremos conversando com as autoridades para encontrar uma solução viável para o Estado e para os profissionais. Já apresentamos informações que comprovam que esse retorno, antes da quarta fase, é necessário do ponto de vista da saúde, da economia e dos postos de trabalho”.

Como frisa a vice-presidente do CREF5, Andrea Benevides, o setor já apresentou, por meio de dados científicos e epidemiológicos, que o retorno da prática da atividade física é extremamente importante para a saúde da população e para economia do Estado. Segundo alertou, há como acontecer esse retorno pleno de forma segura. “Hoje, somos mais de 1700 estabelecimentos, somos mais de 13 mil profissionais registrados no CREF5 que estão preparados, e qualificados, para a retomada da oferta da atividade física à população com segurança. Entregamos um protocolo de trabalho que, como o próprio GT, é irrepreensível. Entregamos, ainda, documentos com informações científicas densas que mostram as consequências de um não retorno das atividades física de orientação de prática de atividade física para a saúde. Contamos com a sensibilidade do governador, no sentido de entender que o profissional de Educação Física é o maior aliado do Estado na prevenção, promoção e tratamento de saúde da população”, explica a vice-presidente do CREF5-CE.

Além do CREF5, entidades do setor, como a Associação Cearense de Personal Trainers (ACEPT), a Associação das Assessorias Esportivas e atividades ao ar livre do Ceará (AEAF-CE) e a Associação dos Profissionais de Educação Física do Estado do Ceará (APEFICE) também participam, desde o início do isolamento no Estado, dos encontros com o GT de Retomada. Em paralelo às reuniões, o presidente do CREF5 também manteve reuniões virtuais frequentes com o vereador Benigno Júnior; o superintendente do Centro de Formação Olímpica, Adriano Loureiro; além de contar com o diálogo e o apoio constante do deputado estadual, Evandro Leitão, do secretário da Secretaria de Esporte e Juventude (Sejuv), Rogério Pinheiro, e do secretário da Regional II, Ferruccio Feitosa. “Em todo esse tempo, nossa intenção foi dar subsídios para que o Estado avaliasse a importância de os profissionais de Educação retomarem suas atividades laborais, obedecendo todos os requisitos de segurança indicados pelas autoridades. Entendemos que a atividade física é essencial para saúde da população. Estamos confiantes de que encontraremos, juntos com o Governo do Estado, uma formar de garantir que os profissionais voltem a trabalhar”, comenta o presidente do CREF5-CE.

LEIA O DECRETO DO GOVERNADOR.

NederlandsEnglishFrançaisDeutschItalianoPortuguêsРусскийEspañol
Skip to content